Quais são os principais comportamentos dos millenials? Descubra agora!

Eles são críticos, exigentes, influenciadores, empreendedores, ativos, consumidores, produtores e não se deixam convencer tão facilmente. Os comportamentos dos millenials têm impactado o mercado e feito muitas marcas repensarem posicionamentos e estratégias.

Os milenares ou geração Y, como também são conhecidos, são pessoas nascidas entre 1980 e 1990, aproximadamente. Eles atuam de forma expressiva em diversas áreas e o poder de compra deles, nos EUA, ultrapassa US$ 2,4 tri.

No Brasil, eles representam mais de 15 milhões da população, movimentam R$ 268 bilhões por ano e cerca de 95% preferem os e-commerces às lojas físicas.

Apesar dos números positivos, não se engane! Pois, os milenares são espertos e não estão dispostos a gastar dinheiro com qualquer coisa. Quer descobrir quais são os comportamentos dos millenials? Neste artigo você fica por dentro. Vamos lá?

Como estava o mundo quando eles nasceram?

Nas décadas de 80 e 90, o mundo passou por inúmeras transformações significativas nos âmbitos político, artístico, econômico e tecnológico. Sobre esse contexto, alguns exemplos valem ser citados, até para situar a nossa linha do tempo:

  • nascimento do primeiro bebê de proveta no Brasil;
  • publicação padrão da ethernet (redes locais);
  • lançamento do Macintosh, da Apple;
  • lançamento do sistema Windows 95, da Microsoft;
  • fundação da empresa Google.

Como se pode perceber, o ambiente tecnológico já ganhava corpo e adeptos nessa época. Ou seja, a geração Y nasceu e cresceu em meio a essas mudanças de ambientes e comportamentos.

Isso faz com que a sua forma de consumo seja completamente diferente das gerações anteriores a eles. Afinal, trata-se de um grupo protagonista, que não só é consumidor, mas também produtor de ideias, conteúdos e opiniões.

Como consomem?

O poder de compra dessa turma é bem significativo. Os números relacionados ao consumo dessa geração são expressivos.

No entanto, para agradá-los é preciso bem mais do que um comercial superproduzido, porque eles estão habituados a olhar além disso. Para que você tenha uma ideia:

  • 65% pesquisam on-line antes de comprar;
  • dois a cada cinco levam em conta os valores pessoais;
  • 54% optam por empresas socialmente responsáveis;
  • 50% não estão satisfeitos com as opções de pagamentos disponíveis;
  • 60% pensam muito antes de comprar;
  • 61% planejam o orçamento;
  • 58% investem o dinheiro;
  • 57% apostam em negócios inovadores;
  • 62% buscam por ofertas e promoções.

Entenda que os millenials estão mudando a forma de consumo porque o acesso às novas tecnologias também têm facilitado e projetado essa transição. Isso tem impactado, consideravelmente, no posicionamento das marcas no mercado.

Hoje em dia, as empresas precisam entregar valor para se manterem no páreo. Não só isso: devem estabelecer um grau de interação e envolvimento a ponto de lhes satisfazerem, porque na “era do cliente” eles são os que decidem o rumo de diversos negócios.

Na lista das preferidas, a geração Y considera Google, Apple, Microsoft, Facebook, e Amazon as melhores do mundo. Mas, por que será que a Apple, por exemplo, é a queridinha deles?

Se você pensou em “experiência do cliente”, acertou em cheio. Porque a marca da maçã mais cobiçada, além de oferecer produtos bem projetados e apoiar o estilo de vida dos colaboradores, também é mestre em encantar pessoas.

Ou seja, o relacionamento com os clientes, internos e externos, é dotado de um conjunto de estratégias de construção e fortalecimento do nome.

Isso implica mudanças na cultura organizacional, adequação às necessidades e expectativas do mercado, além de suporte tecnológico, a fim de que o consumidor em potencial seja impactado com as ações adequadas.

Quais características marcam os comportamentos dos millenials?

Deu para perceber que, embora os herdeiros da internet constituam um público em potencial, eles também geram alguns desafios para os gestores, que precisam entender e acompanhar o ritmo frenético deles. Afinal, vender para esses jovens requer habilidade e atualização.

Por exemplo, 44% preferem pagar via smartphone e mais de 80% abandonam carrinhos nos e-commerces em função de falhas e lentidões. Isso revela um padrão de atitude mais acelerado e impaciente.

Logo, as empresas que não se adéquam a esse formato acabam perdendo vantagem competitiva e abrem mão de um público exigente, porém leal às marcas que consome. Sim, essa é uma das particularidades dos comportamentos dos millenials, mas há outras:

Interessados

Se você ainda não ouviu falar sobre os “early adopters” ou primeiros utilizadores, não tem problema. Na verdade, trata-se de um tipo específico de consumidor, que não gosta de perder tempo e está disposto a adquirir produtos e serviços novos no mercado, desde que satisfaçam os seus interesses.

Eles costumam dar feedbacks significativos para as empresas, por isso são essenciais na fase inicial de qualquer negócio ou lançamento. Até porque os early adopters têm a facilidade de compreender melhor o problema e interagir em prol da solução.

Geralmente, eles são os primeiros a testar plataformas sociais inéditas, produtos na fase embrionária e serviços diversos. 

Investigadores

Com o fácil acesso às informações, não é de se espantar que os milenares busquem diversas fontes de conteúdo para se atualizarem. Sendo assim, já não basta a persuasão de uma propaganda, porque eles simplesmente preferem tirar as próprias conclusões por depoimentos e avaliações em blogs e mídias sociais.

Isso quer dizer que a autenticidade e a autonomia de pensamento são traços que imperam nos comportamentos dos millenials, que não se deixam moldar pela mídia tradicional.

Antenados

As novas tecnologias fazem a cabeça dessa galera, que não abre mão de artefatos eletrônicos variados. Por serem adeptos a esses formatos, também consomem em grande quantidade aparelhos e sistemas relacionados.

Participativos

A geração Y almeja fazer parte das ações das marcas. Afinal, é a turma que prioriza as experiências e não abre mão de pagar por elas, independentemente do preço.

Os millenails querem interagir, trocar ideias, conhecer pessoas, enfim, não renunciam a manter o contato, seja por meio de plataformas on-line, shows, viagens, atividades físicas ou mesmo eventos sociais e culturais.

Portanto, a empresa que souber aproveitar a oportunidade, certamente, atenderá aos interesses desse público.

Minimalistas

Foi-se o tempo em que ter muito era sinônimo de status. Ao que tudo indica, os jovens de hoje querem ter menos para viver mais. Basta olhar para as diversas plataformas de colaboração, que estimulam atitudes conscientes em prol de um mundo melhor.

Por isso, produtos e serviços que fazem a diferença atraem bem mais a atenção dessa geração.

Inquietos

Em geral, são acelerados e também se frustram com muita facilidade. Não é nada simples satisfazê-los. No mercado de trabalho ou fora deles, as mudanças precisam ser rápidas para instigá-los, porque estamos falando de seres que são movidos por resultados.

Os comportamentos dos millenials estão moldando o mercado. Atualmente, a empresa que não pensa fora da caixa corre sérios riscos de ficar em desvantagem frente a concorrência, porque o público em questão é revolucionário, contestador, mas, sobretudo, leal àquilo que acredita.

E aí, gostou de saber mais sobre os comportamentos dos millenials? Quer ficar por dentro de outros assuntos como esse? Então acompanhe a gente na redes sociais. Estamos no Facebook, no Twitter e no Instargram.

 

  • Compartilhe:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Agência Euphoria 2017 - © Todos os direitos reservados